segunda-feira, 5 de maio de 2008

Fundamentação Teórica ou Revisão de Literatura

É através dela que se situa o artigo dentro da grande área de pesquisa do qual ele faz parte. Isso se faz importante tanto para o leitor quanto para o escritor, pois pode-se identificar a linha teórica de discussão em que o trabalho se insere e define-se os autores necessários para fundamentar o trabalho.
Na Fundamentação Teórica normalmente há um afunilamento do assunto até o ponto específico que compõe o tema do artigo. São reportados e avaliados conhecimentos, procedimentos, resultados, discussões e conclusões relevantes. Também é interessante relatar a que nível de desenvolvimento estão as pesquisas e a velocidade de seu avanço. O escritor também vai dar crédito com maior ênfase a estudos prévios, utilizando-os como base para iniciar uma discussão e contextualizando o tema central do artigo na respectiva área do conhecimento em que ele se encontra.
Normalmente as Fundamentações Teóricas da área da Lingüística tendem a ser mais densas e avaliativas, emitindo juízos de valor. Já em outras áreas, como a Economia ou a Física, as pesquisas prévias são analisadas com mais objetividade e superficialidade.
Alguns movimentos essenciais a uma Fundamentação Teórica:
  • Estabelecer o interesse profissional no tópico: esse passo consiste numa continuação da contextualização feita na Introdução. No entanto, o foco agora está na área do mercado de trabalho e nos seus respectivos profissionais para os quais a pesquisa é importante.
  • Fazer generalizações do tópico: normalmente tais generalizações são oriundas do senso comum, ou seja, são informações do conhecimento de grande parte das pessoas. Elas não necessitam de referências para provar sua veracidade.
  • Citar pesquisas prévias: o escritor vai coletar e relatar alguns autores que tenham contribuído para a evolução das pesquisas até o momento. Tais autores devem realmente ser importantes a ponto de serem citados e terem suas pesquisas mencionadas.
  • Estender pesquisas prévias: nessa etapa há um desenvolvimento, um maior aprofundamento das teorias dos autores encontrados. São analisados suas contribuições para a evolução das pesquisas.
  • Contra-argumentar pesquisas prévias: são analisadas as visões de cada autor acerca do tema estudado. O escritor vai funcionar como um agente que fará uma inter-relação entre eles, constatando e relatando em que pontos elas se aproximam e em que pontos elas se distanciam: se elas se complementam, se opõem, se contrapõem, se são diametralmente opostas... Depois dessa complexa análise, o autor do artigo vai decidir qual linha teórica seguir: a linha de um ou mais autores da fundamentação ou se vai ser originada uma nova teoria.
  • Indicar lacunas em pesquisas prévias: serão identificados os pontos falhos dos trabalhos da fundamentação teórica, enfatizando o objetivo do trabalho com relação ao preenchimento total ou parcial desse lacuna.

3 comentários:

glau_san disse...

Gostaria de mais informações sobre como contrapor as idéias dos autores que escolhi pra minha fundamentação teórica. Eles têm sempre que concordar?

Lucas e Poennia, disse...

Não, Glau... Você tem que expor os pontos de vista dos autores selecionados. Com isso, você vai focalizar em que momento eles se aproximam e/ou se distanciam com relação ao seu tema. Depois dessa "comparação", você vai escolher qual(is) dele(s) vão aparecer na análise, ou seja, qual deles vai realmente embasar seu artigo. Não esqueça de argumentar por que você escolheu esses autores em detrimento dos outros. Atenção!!! Eles não necessariamente precisam discordar. Se eles possuírem a mesma opinião, voc~e pode argumentar que todos concordam, e conseqüentemente, você usou todos eles.
Qualquer dúvida me procura, linda...
Xeru

Isadora França disse...

Ô, Luquinhas. Muito obrigada pela informação. Essa era, de fato, a minha dúvida. Ainda bem que a Glau foi mais rápida. Espero, agora, que os pontos de vista dos diferentes autores se encaixem e façam sentido.
Beijão, querido. E brigado de novo.